O segredo de John Green

Em meio a livros eróticos e romances açucarados, o autor vem conquistando o Brasil com obras que relatam o descobrimento e os dramas da juventude. John Green introduz de maneira eficaz o Young Adult no país, gênero que não ofende a inteligência dos mais maduros e apresenta histórias mais elaboradas que os clássicos juvenis.

O mundo literário vive uma fase em que achar um livro sem um triângulo amoroso é tão aliviante quanto se livrar de uma azia.  É uma fórmula mais que batida, mas que de alguma maneira que eu não compreendo  consegue vender muito.

John Green vai salvar você que se sentia como eu. É refrescante, e esse é o segredo. Conheça os livros lançados no por aqui:

a-culpa-e-das-estrelas

A Culpa é das Estrelas

 Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante — o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos —, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.

O que achei?  Esse é um dos livros mais sensíveis que você provavelmente lerá na vida.  São personagens únicos, carismáticos que lutam contra as estáticas que oscilam entre vida e morte.  Prepare-se para ótimos diálogos e momentos de emoção.

Quem é Você, Alasca?Layout 1

Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras que, cansado de sua vidinha pacata e sem graça em casa, vai estudar num colégio interno à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o “Grande Talvez”. Muita coisa o aguarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young, uma garota inteligente, espirituosa, problemática e extremamente sensual, que o levará para o seu labirinto e o catapultará em direção ao “Grande Talvez”.

O que achei?  Esse é um livro que apresenta todos os questionamentos comuns sobre a existência e suas vertentes. Religião, amizade e perdas…  Quem nunca refletiu sobre?

WillWill

Will & Will

 Em uma noite fria, numa improvável esquina de Chicago, Will Grayson encontra… Will Grayson. Os dois adolescentes dividem o mesmo nome. E, aparentemente, apenas isso os une. Mas mesmo circulando em ambientes completamente diferentes, os dois estão prestes a embarcar em um aventura de épicas proporções. O mais fabuloso musical a jamais ser apresentado nos palcos politicamente corretos do ensino médio.

O que achei?   Não é bom. É fabuloso. Esse sim é o melhor livro da lista. Escrito em parceria com David Levithan, Green mostra uma habilidade até então desconhecida: Fazer rir.  A história engraçada, inteligente e graciosa. Além de tratar os gays como deveria: com igualdade de direito e espírito.

O-Teorema-Katherine O Teorema de Katerine

Após o mais recente e traumático pé na bunda, o Colin que só namora Katherines resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-garoto prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam,

O que achei?  Imagina namorar 19 pessoas com mesmo nome. Curioso, não é? Esse é único bom argumento desse livro. Sendo o mais fraco da lista, o autor erra a mão e entrega uma história com potencial, mas muito maçante.

Ainda esse mês será lançado pela editora Intrínseca o livro Cidades de Papel, que foi vencedor do prêmio Edgar de Melhor Romance de Mistério Juvenil.  Na trama, Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que um Margo invade sua vida pela janela de seu quarto, propondo a Quentin que ele a ajude em um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita.

#SessãoPipoca | Os 10 Melhores Filmes Gays

Milk - Filme10-  Milk – A voz da igualdade.

Do que se trata? Uma cinebiografia de Harvey Milk (1930-1978), político norte-americano que assumiu sua homossexualidade publicamente nos anos 70, sendo o primeiro homossexual assumido a ser eleito a um cargo público nos Estados Unidos.

Porque é bom? : A busca pelos direitos sempre foi ( e ainda é ) constante na comunidade GLBT. Milk foi uma das principais figuras da história a lutar e contra um sistema altamente repressor. Vale a pena se inspirar pela tocante  história e pela maravilhosa e premiada atuação de Sean Pean.


patrik-age-1-5_Patrick 1.5

9 – Patrick 1.5

Do que se trata? O casal gay Göran e Sven conseguiu permissão para adotar Patrik, um órfão sueco de um ano e seis meses. Mas quando o menino chega, ele não é bem o que eles esperavam. Houve um erro na idade do garoto, e os pais receberam um jovem homofóbico de 15 anos com um passado criminoso.

Porque é bom?  Esse filme surpreende em mostrar um momento na vida de casais homossexuais pouco explorado pelo cinema: A construção da família.  Obviamente aqui nada sai como o planejado, mas deixa lições valiosas sobre a vida e as vertentes do amor.


Má Educação8 – Má Educação

Do que se trata?  Quando criança, Inacio (Gael Garecia Bernal) estudou em um colégio interno católico. Lá ele sofreu abusos sexuais por parte de seu professor de literatura, o padre Manolo (Daniel Giménez Cacho), que marcaram sua vida para sempre. Ignacio se apaixona por um colega de colégio, Enrique (Fele Martinéz), que termina sendo expulso. Vinte anos mais tarde, os três personagens se reencontram. Este reencontro marcará não só a vida, mas também a morte de alguns deles.

Porque é bom?  O filme é dirigido pelo excelente Pedro Almodóvar  que possuí um estilo único de contar suas histórias. Nessa em especial, ele surpreende com um humor negro cheio de críticas e reviravoltas.


O_Golpista_do_Ano7 – O Golpista do ano

Do que se trata?  Steven Russell (Jim Carrey) é um homem que tem uma vida feliz ao lado de sua mulher (Leslie Mann). Mas quando ele sobrevive a um grave acidente de carro, sua vida muda para sempre. Steven assume que é gay e decide aproveitar tudo o que a vida pode lhe oferecer de melhor, nem que para isso tenha que dar alguns golpes

Porque é bom?  Por incrível que pareça essa é uma história real que foi muito bem adaptada para o cinema. Sem dúvidas é o filme mais engraçado que já vi sobre o tema . Apresenta um ótimo trabalho do rei da comédia Jim Carrey, uma atuação memorável de  Ewan McGregor e uma participação curiosa de Rodrigo Santoro.


24494_116 –  Amores Imaginários

Do que se trata?  Francis e Marie são amigos inseparáveis. No entanto, suas vidas mudam quando conhecem Nicolas, charmoso rapaz do interior que acaba de se mudar para Montreal. Um encontro se sucede ao outro – seriam eles imaginários? – e os três logo se tornam um grupo inseparável. Mas Francis e Marie, ambos apaixonados por Nicolas, desenvolvem fantasias obsessivas em torno de seu objeto de desejo comum. À medida que atravessam as típicas fases da paixão, embarcam numa verdadeira disputa pela atenção do rapaz, comprometendo sua antiga amizade.amores imaginarios

Porque é bom?   O filme é um estudo sobre o “se apaixonar”.  Seguimos todas etapas  de uma história de amor – Primeiro encontro, encantamento , as ilusões, as  desilusões  e lágrimas – tudo isso em um roteiro muito afiado com ótimos diálogos.  “Amores Imaginários” é dirigido e roteirizado por um jovem chamado Xavier Dolan que você certamente ouvirá a respeito.


Shelter movie5 –  De repente, Califórnia

Do que se trata?  Forçado a desistir da escola de artes, Zach passa seus dias trabalhando num emprego sem futuro e ajudando sua irmã a cuidar do filho dela. Nas horas livres ele surfa, desenha e sai com seu melhor amigo, Gabe, que mora no lado nobre da cidade. Quando o irmão mais velho de Gabe, Shaun, volta pra casa, ele é atraído pela falta de auto-estima e o talento de Zach. Zach se apaixona por Shaun enquanto luta para reconciliar seus próprios desejos com as necessidades de sua família.

Porque é bom?   Sabe aquele seu filme preferido que passa na sessão da tarde? Aquele que pode ser exibido mil vezes que você vai parar para assisti-lo?  “De repente, Califórnia”  é um desses filmes. Doce, divertido e levado de maneira serena, porém tocante, a história dos  dois surfistas que se apaixonaram é tão gostosa quanto uma  manhã em uma bela praia.


the big gay musical4- The Big Gay Musical

Do que se trata? Paul e Eddie apenas começaram amostra para o novo musical Off-Broadway “Adam e Steve Just the Way God Made” e suas vidas estranhamente  se tornam  o espelho dos personagens  que estão atuando. Paulo está procurando o homem perfeito e Eddie de como lidar com sua sexualidade e fé.

Porque é bom?   Pouco conhecido entre os brasileiros, “The Big Gay Musical” foi um dos grandes hits do festival de  Sunrise  em 2009.  Trazendo um roteiro muito inteligente (o que foi uma surpresa para os críticos ), o filme aborda todas as principais polêmicas e controversas sobre assuntos relacionados ao público gay. Tudo isso embalado por ótimas e divertidas canções.


Contra-Corrente filme3 – ContraCorrente

 

Do que se trata? Miguel (Cristian Mercado) é um homem respeitado na vila de pescadores onde vive com sua esposa Mariela (Tatiana Astengo), que está grávida do primeiro filho do casal. Embora viva bem com a esposa, Miguel tem um caso secreto com um artista forasteiro, Santiago (Manolo Cardona), chamado pelas costas pelo povo do vilarejo de ‘Príncipe Encantado’. Quando a história toma um rumo sobrenatural, Mariela começa a questionar Miguel, que eventualmente terá de decidir se é homem suficiente para assumir a sua sexualidade.

Porque é bom?   Esqueça qualquer tipo de clichê destinado aos casais gays em filmes, aqui é diferente, é, de uma maneira peculiar, muito próximo a realidade ou que esperamos dela. Temos uma bela paisagem, atores bem escolhidos e roteiro muito sensível. Um conjunto que emociona, e muito.


Shortbus - filme2 – Shortbus

Do que se trata?   Sofia (Sook-Yin Lee) é uma terapeuta de casais que nunca teve um orgasmo. Entre seus pacientes estão James (Paul Dawson) e Jamie (PH DeBoy), que mantém uma relação que começa a dar passos maiores. Há ainda Severin (Lindsay Beamish), uma dominatrix que mantém sua vida em segredo e não se abre para as pessoas. Eles se encontram regularmente no Shortbus, um clube underground onde arte, música, política e sexo se misturamshortbus

Porque é bom?    Já dizia Marilyn Monroe  “O sexo faz parte da natureza. Eu só sigo a natureza” . E é  disso que se trata “Shortbus”,  vários personagens seguindo e descobrindo  a natureza sexual em uma sociedade que se diz cada vez mais livre, mas que pode sufocar.  Um aviso: Esse filme contém cenas de sexo explícito, que fiquem longe os puritanos.


O segredo de Brokeback mountain1  – O Segredo de Brokeback Mountain

Do que se trata?   Jack Twist (Jake Gyllenhaal) e Ennis Del Mar (Heath Ledger) são dois jovens que se conhecem no verão de 1963, após serem contratados para cuidar das ovelhas de Joe Aguirre (Randy Quaid) em Brokeback Mountain.

Jack deseja ser cowboy e está trabalhando no local pelo 2º ano seguido, enquanto que Ennie pretende se casar com Alma (Michelle Williams) tão logo o verão acabe.

Vivendo isolados por semanas, eles se tornam cada vez mais amigos e iniciam um relacionamento amoroso.

Ao término do verão cada um segue sua vida, mas o período vivido naquele verão irá marcar suas vidas para sempre.bbmountain

Porque é bom?    Nenhum filme da lista supera o poder de “Brokeback Mountain”. Aplaudido de pé pela crítica e público, esse foi um dos primeiros  filmes com  temática gay a  ser levado à porta das pessoas, sem elas procurarem.  Gerou reflexão, discussão e plantou uma semente na mente de muita gente. A semente do direito de amar, independente do sexo.

#Resenha | Sob a Redoma

Sob a RedomaTÍTULO: SOB A REDOMA

AUTOR: STEPHEN KING

TÍTULO ORIGINAL: UNDER THE DOME

PÁGINAS: 960

EDITORA: SUMA DE LETRAS

SKOOB

COMPRE


O Big Brother de Stephen King…

King dispensa apresentações, autor de diversos sucessos e figura obrigatória nas prateleiras dos leitores mais ávidos, o mestre em gerar medo e criar mitos já é uma lenda vida. Em seu último romance lançado no Brasil, Stephen mostra que muitas vezes o ser humano é mais assombroso que o sobrenatural. E é esse o grande barato de Sob A Redoma.

Stephen King

O Autor

Na trama, em um dia como outro qualquer em Chester’s Mill, no Maine, a pequena cidade é subitamente isolada do resto do mundo por um campo de força invisível. Aviões explodem quando tentam atravessá-lo e pessoas trabalhando em cidades vizinhas são separadas de suas famílias. Ninguém consegue entender o que é esta barreira, de onde ela veio e quando — ou se — ela irá desaparecer.

A forma como os moradores da cidade lidam com essa chamada “crise” é o tema central do livro. O confinamento faz os medos, receios, defeitos e passados se emergirem ao extremo ao tentar lidar com a situação, diretrizes e regras impostas pelo espaço.
O que vemos é uma interessante análise do poder, cheia de claras críticas ao governo Bush. Uma potente reflexão sobre as ações humanas. E uma narrativa que beira a perfeição, com ótimos personagens.

A leitura de Sob a Redoma é muito gostosa porque é ágil. A fagulha que dá origem ao caos total vai se desenrolando aos nossos olhos até chegar ao ápice. É como um reality show, mas sem o chato do Pedro Bial.

Curiosidade: Já está confirmada uma série produzida pelo canal americano CBS, com 13 episódios confirmados e estréia prevista para 24 de junho, ainda deste ano.

#Resenha | O Lado Bom Da Vida

O Lado Bom Da VidaTÍTULO: O LADO BOM DA VIDA

AUTOR: MATTHEW QUICK

TÍTULO ORIGINAL: SILVER LININGS PLAYBOOK

EDITORA: INTRÍNSECA

PÁGINAS: 256

SKOOB


Toda a obra desperta sentimentos positivos em você…

É interessante começar a resenha ressaltando o quão seletiva é a editora Intrínseca, que vêem trazendo para o mercado nacional grandes e curiosos títulos como A culpa é das estrelas, Os deixados para trás, Mathilda Savitch, o estrondoso sucesso Cinqüenta tons de cinza, e ,é claro, O Lado bom Da vida.

O lado bom da vida (Ótimo e inteligente título nacional) conta a história de Pat Peoples, um homem que acabou de sair de uma clínica psiquiátrica e acredita que finalmente vai conseguir voltar para sua esposa. Sua ideia de tempo foi alterada e ele perdeu boa parte da memória, mas faz seu caminho, contra tudo e todos, acreditando cegamente no seu final feliz. Nessa jornada ele conta com ajuda de sua família, do seu terapeuta e uma inusitada nova amiga.

O livro é narrado em primeira pessoa, então durante 254 páginas entramos na mente instável de Pat que oscila entre momentos de fúria, descobertas e muitos, muitos questionamentos.

Matthew Quick - O Autor

Matthew Quick – O Autor

O relacionamento de Pat com Tiffany ( sua amiga inusitada) é algo muito singular, diferente de tudo que eu já tinha lido e visto, e isso me agradou muito.
Afinal, pode- se esperar tudo de duas pessoas problemáticas, e o autor nos entrega situações realmente engraçadas.

A adaptação cinematográfica chegou fazendo barulho, recebeu um total de oito indicações para o Oscar e tornou-se o primeiro filme a concorrer em todas as quatro categorias de atuação (melhor ator, atriz, ator coadjuvante e atriz coadjuvante) em mais de 30 anos.

Eu acredito que o filme funcione mais para quem não leu o livro, e ainda que a escalação dos atores seja muito boa, há diversas mudanças no roteiro que pode incomodar os mais críticos (como eu).

No mais, toda a obra desperta sentimentos positivos em você. É um romance que não apela em momento algum para tragédias ou dramas irreais. O que vemos ( ou lemos) são pessoas que lutam para seguir suas vidas, como nós. E nos ensina a tentar ver o sol por trás de uma nuvem de chuva, buscando assim o lado bom da vida.