#SessãoPipoca | “J. EDGAR”: mentiras, corrupção e… romance.

Bem pessoal, primeiro post do #SessãoPipoca! Gostaria de agradecer a oportunidade do espaço e a vocês por lerem. Enfim, ninguém tá aqui pra ler discurso né? Haha’ :D Explicando rapidinho: alguns nomes (atores ou pessoas reais, filmes não) podem ser desconhecidos, então coloquei neles um link para a foto do cidadão para facilitar o reconhecimento. Espero ter ajudado.

Vamos começar com, digamos, certo estilo gângster

PS: esse é um filme histórico, então não reparem se eu enganchar num assunto e falar demais dele. Prometo melhorar! ^^

DADOS:

 NOME: J. Edgar

 DIRETOR: Clint Eastwood (Menina de Ouro)

 ROTEIRISTA: Dustin Lance Black (Virginia)

 ESTRELANDO: Leonardo DiCaprio (A Origem); Armie Hammer (A Rede Social); Naomi Watts (O Chamado);

SINOPSE:

Bem, (se forem igual a mim) em primeiro lugar vocês devem estar pensando: “Quem é esse tal de J. Edgar?!”, então decidi contar uma breve história dele. Contudo o filme próprio é biográfico então meio que já começo a sinopse. Vamos lá!

John Edgar Hoover (Washington, D.C. ~ 1895 – 1972) foi patrono e por 48 anos diretor do FBI. Formado em direito com 22 anos, teve uma carreira de ascensão rápida no Departamento de Justiça, onde em 1919 começou a investigar suspeitos de tumulto (denominados no filme como “bolcheviques”). Após um grande número de deportes, seu encargo passa para assistente de direção e, enfim, diretor do FBI. J. Edgar, contudo, sempre teve uma vida pessoal meio nebulosa e fechada que foi muito especulada. Fiz algumas pesquisas, mas falo sobre elas depois.

J. Edgar (imagem do filme)

FILMEEE! O filme (finalmente) começa com Edgar já velho, narrando sua vida para escritores do departamento datilografarem uma biografia. Na verdade a história alterna entre o presente (1972) e o passado (época em que entrou para o FBI). O presente conta suas ações contra os movimentos negros dá época (mais especificamente Martin Luther King), seu conflito meio que indireto com o presidente estadunidense Richard Nixon, seus arquivos secretos pessoais, seu jeito ranzinza de ser, entre outros assuntos menores.

Já o passado resgata toda aquela história que leram no segundo parágrafo: a carreira e etc; ENTRETANTO notei certo foco na vida pessoal. A relação forte e dependente com a mãe (Anna Marie Hoover), sua confiança para com Helen Gandy (com quem “quase” casou-se), o pós-desinteresse por mulheres, um amor secreto (segundo pesquisas que fiz) baseado em rumores por seu braço direito Clyde Tolson, corrupção, mentiras, etc.

Já falei demais né? Hahaha’

ANÁLISE:

J. Edgar (banner oficial)

ROTEIRO – Eu geralmente não gosto de filmes-biografia, mas esse me conquistou. O fato de ser baseado em fatos políticos me deu uma ansiedade mórbida de chegar em casa e pesquisar sobre o FBI, Edgar Hoover, o presidente Nixon e o caso Watergate, etc. Devo admitir que é um pouco maçante assistir, mas vale muito a pena. O roteiro é, como disse antes, alternado entre passado e presente, o que pode deixar o entendimento um pouco confuso.

ATUAÇÃO – Bem, eu particularmente gosto da atuação do DiCaprio e da Watts, então sou suspeito quando digo que estavam muito bem. Não conhecia o Hammer, mas também achei bem legal seu trabalho assim como (acho que principalmente) o de Judi Dench.

FOTOGRAFIA – A imagem geral é linda. Adoro filmes (até fotos) com alto contraste, escuros, sombras bem marcadas, jogo de cores bem definido de acordo com clima emocional; e o filme trabalhou muito bem isso.

PROBLEMINHA – Um drama: maquiagens. O Leonardo DiCaprio ficou bem realista envelhecido, assim como a Naomi Watts, mas o tadinho do Armie Hammer ficou muito falso. Minha única reclamação.

OPINIÃO SINCERA: o filme é ótimo!

Para quem gosta de wallpapers:

Anúncios

7 comentários sobre “#SessãoPipoca | “J. EDGAR”: mentiras, corrupção e… romance.

  1. Dear, pra ser bem sincera, esse estilo de filme não me atrai muito. Apesar do ótimo trailer e da sua crítica [que por sinal ficou muito boa!], não sei se eu assistiria.
    Parabéns pelo post!

    Bjinhos e muito sucesso!

    @swannx
    Bem pra Mente

  2. Gostei da resenha. Já ouvi falar da biografia. Os atores estão fantásticos e espero pode ve-lo tão logo em breve. Leonardo DiCaprio continua sendo o grande ator.

  3. Boa crítica sobre o longa!
    Analisou acerca de diversos aspectos e instigou o leitor a assistir ao filme.
    Não deu muitos spoilers também, o que conta muito.
    E ilustrou bem a resenha com o wallpaper.
    Parabéns e que venham novas #SessõesPipoca

  4. to morrendo pra ver esse filme. eu gosto de biografias, especialmente as que tem enfoque em figuras políticas, mas minhas expectativas são altas principalmente porque o Di Caprio (que é um ator que eu admiro pra caramba!) está no papel principal, e porque é do Clint Eastwood. Li uma crítica gigante do filme na Época e dei uma babada básica hahaha! Tem cara mesmo de ser ótimo =D

  5. Nunca vi o filme, mas dorei a sinopse do filme e a opinião sincera do crítico. A analise foi tudo e pra dizer a verade, nada mais que a verdade, eu adoro a atuação do Leo.
    Hello, tenho que assistir esse filme rapidinho.

  6. Olha eu… comentando no meu próprio blog… XD
    Parabéns garoto! Estreou com tuudo! Huhu! Gostei da abordagem, eu não teria feito isso nem em 5 anos… :O
    Não curto muito filmes históricos, mas esse parece mesmo ser bom… *-*
    Qq dia assisto… shuashsa!
    Parabéns, bom saber que fiz ums boa escolha de colunista. :O

Comente! Sua opinião/crítca/sugestão é muito importante para nós!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s