Entrevista | W. Donadon

Olá Pessoal!

A literatura nacional vem me surpreendendo a cada novo dia que surge e livros que leio.
Uma das recentes surpresas é o W. Donadon. Autor do livro A LENDA DE HÖGNI (Resenha).

O autor é muito simpático. Tive o prazer de conhecê-lo pessoalmente num evento literário que aconteceu em São Paulo algumas semanas atrás.
Dono de uma personalidade marcante e recatada, confesso que logo estava totalmente “gamado” nela, nós tivemos uma noite muito interessante, onde falamos sobre livros e outros assuntos do ramo literário. (E, antes que me esqueça, tive que ouvir umas 50 mil vezes: “Porque não me mandou trazer mais exemplares do Högni?” Afinal, o evento estava cheio de autores e possíveis oportunidades de trocas para ele, mas como não avisei ele só levou dois livros, um ficou para mim – iupiiii – e o outro com a Ana Bergamasco – autora do Apátrida e do João & Maria. O resto do povo ficou “chupando o dedo”.)
Junto com ele estava o Alessandro Silva, que está começando a escrever também e resolveu conhecer um pouco do mundo da literatura e interagir com o pessoal (E, anotaê, é uma ótima companhia pra papos literários).

Abaixo seguem algumas perguntas que enviei para o W Donadon responder, confesso que ri litros em algumas das respostas, hehe, o cara é #Mestre.


Nome: Willian Donadon

Idade: 19

Mora em: São Paulo

Natural de: Itapetininga

Hobbies: Escrever, fotografar, dançar, ler e more… (Essa info foi eu quem colocou, baseado no que já papeamos)

Estuda: Cinema

Site

Página no Facebook

Perfil do twitter: @WDonadon

1) O que te levou a criar A LENDA DE HÖGNI? Alguém te ajudou a se inspirar para
escrever?
Sempre quis escrever um livro, na verdade. O que me levou a colocar a ideia em prática foi esse
desejo, paixão por mitologia grega e o auxílio de um amigo. Ele me ajudou a bolar a
trama inicial e deu nome ao protagonista (Högni).

2) Quais suas expectativas para o seu livro? Elas estão sendo cumpridas?
Minhas expectativas (acho que a de todo escritor) é ter minha obra lida. Quero que
gostem também, claro. Por enquanto estão sendo atendidas. As pessoas que leram,
gostaram… muito. Não recebi nenhuma critica negativa por enquanto (não, nem eu
acredito!).

3) Na história você cita vários componentes da mitologia grega e, aparentemente,
no segundo livro da série, vai inserir mitologia Egípcia. Fale um pouco sobre suas
pesquisas para a trama e, o que mais podemos esperar?
Bem, eu sou apaixonado por mitologia (principalmente grega) desde que me conheço por gente.
Então, as pesquisas para “O Cinturão de Adhara” foram mais de um acúmulo de informações da minha vida. Pesquisei bastante também em livros
e internet, mas a maior parte vem de tempo. Para o segundo livro a pesquisa está
mais intensa. Nunca entrei de cabeça na mitologia egípcia e agora que preciso estou
correndo atrás. Pesquiso mais em internet, pois não achei nenhum livro ainda que
me desse as informações que preciso. O segundo volume de “A Lenda de Högni”
está mais sombrio, de certa forma. Como se o protagonista estivesse pouco se
importando com os estragos que causa. Um fundo de “o fim justifica os meios” na
trama. Estou gostando da experiência.

4) Seus personagens são bem realísticos. Alguns deles foram inspirados em pessoas
reais?
Em “O Cinturão de Adhara” apenas a deusa Héstia, que foi inspirada na atriz Kristen
Bell.

5) Qual sua comida favorita? Algo que, se você pudesse, comeria TODOS OS DIAS?
Adoro massas. Adoro bacon. Adoro queijo. Macarrão com molho 4 queijos e bacon.
Perfeição!… E uma artéria entupida. rs’

O autor curtindo um de seus Hobbies: Fotografar :P (Roubei do Face... haha!)

6) Alguma mania louca de escritor, uma coisa que te ajuda nos momentos de bloqueio
criativo?
Problema: nada me ajuda. Eu forço um parágrafo ou dois, mas sempre fico
descontente. Prefiro esperar a inspiração vir.

7) Um lugar indispensável, onde você gostaria de ir todos os dias?
Meu refúgio. É, um refúgio, eu tenho. Pense: eu sou de uma cidade pequena
(Itapetininga) e moro numa cidade grande (São Paulo). É meio estressante a rotina
(embora eu ame morar aqui), então encontrei um refúgio. Não é isolado, claro… é
impossível achar um lugar vazio em São Paulo; mas é calmo e eu adoro o ambiente.
Eu vou lá quando minha cabeça está explodindo ou eu estou meio pra baixo. Se
eu pudesse iria lá todos os dias. Mas é até melhor que não vá, senão quebraria o
encanto do lugar.

8) Cite 5 de seus autores preferidos e, um autor que você acha totalmente inspirador,
alguém que você admira?
Cinco? Mal tenho três. Haha’ Machado de Assis; J. K. Rowling; William Shakespeare.
E esse último, com certeza é uma admiração profunda. Quero ser ele quando
crescer. Haha’

O Primeiro Livro do Autor.

9) Como analisaria o mercado editorial no Brasil atualmente? Está mais difícil ou mais
fácil que alguns anos atrás?
Acredito eu que mais fácil que há anos atrás (não sei porque só me lancei esse
ano), mas ainda assim difícil. É complicado achar uma editora de confiança e ainda
mais uma que te apoie. A maioria delas hoje cobra dos autores e não investem o
suficiente. Talvez um incentivo maior trouxesse um retorno maior para as editoras,
mas daí acarretaria uma seleção mais apurada dos livros, o que talvez deixaria de
fora muitos autores novos, principalmente… Enfim, é um círculo vicioso. Espero que
melhore daqui para frente.

W. Donadon / R. Klisman / Alê Silva - A foto tah péssima, mas fazê0oq? Num tinha melhor... hahaha! (PS: Agasalhos em demasia pq tava mto frio)

10) Deixe uma mensagem para seus leitores e também para os novos autores que estão

chegando.
Aos meus leitores: obrigado. Tendo gostado ou não do livro, obrigado por terem me
dado a oportunidade.
Aos novos autores: boa sorte. Vocês estão entrando num mercado SUPER concorrido, mas se acreditarem no seu trabalho como eu estou
acreditando chegaremos onde queremos, os outros acreditando ou não. Acho que é
essa a estratégia: confiança. Posso estar errado também… hahaha’ Enfim, boa sorte
a todos, leitores ou autores, no que quer que forem fazer!

Anúncios

2 comentários sobre “Entrevista | W. Donadon

  1. E eu esqueci de comentar Lemony Snicket e Christopher Paolini nos autores! “Desventuras em Série”, sem dúvida minha série de livros favorita (seguida de Harry Potter e Eragon). Enfim, obrigado pela entrevista! :D

Comente! Sua opinião/crítca/sugestão é muito importante para nós!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s